Apil/RS quebra recorde de maior pizza do Brasil durante a Expointer

Apil/RS quebra recorde de maior pizza do Brasil durante a Expointer

A maior pizza do Brasil foi assada na Expointer em evento organizado pela Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS) nesta quinta-feira, 29 de agosto. Ao todo, foram cerca de 20 horas de preparo entre montagem de estruturas, manipulação de ingredientes, até o momento principal de entrega de mais de 1,2 mil fatias a frequentadores do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Centenas de pessoas acompanharam todo o processo, desde a noite anterior até a abertura do parque, no início da manhã. Durante a noite, a massa ficou na fase de preparação do glúten, como dizem os pizzaiolos, para posterior descanso durante a madrugada. Nesta quinta-feira, às 7h, a equipe comandada pelo pizzaiolo Peterson Secco, abriu a massa e a pré-assou. “A partir deste momento cessou a fermentação e começou o processo de cozimento”, explicou Secco. Ele conta que como não havia um forno industrial adequado para a experiência, a equipe improvisou um forno utilizando 12 tonéis que foram posicionados abaixo de um chapa de aço, abastecidos com lenha. Na pizza assada na Apil/RS foram usados queijos mussarela, gouda, provolone, parmesão e requeijão. Além disso, o pizzaiolo acrescentou rodelas de tomate, manjericão e orégano. Peterson se propôs a um desafio especial no evento da entidade: quebrar o seu próprio recorde. A pizza montada por ele anteriormente tinha 15 centímetros a menos da que foi produzida na Expointer. A iguaria foi produzida com 80 quilos de queijo, 20 litros de molho de tomate e 3,46 metros de diâmetro, totalizando 167 quilos de peso. O presidente da Apil/RS, Wlademir Dall’Bosco, ressaltou que a ideia foi...
Pequenos laticínios debatem perspectivas para novos mercados

Pequenos laticínios debatem perspectivas para novos mercados

A Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS) promoveu nesta quarta-feira, 28 de agosto, um debate para discutir alternativas de novos mercados para o setor, sobretudo o chinês. Para isso, esteve presente o presidente do Instituto Brasil-China, Sérgio Moras. Na abertura, o presidente da Apil/RS, Wlademir Dall’Bosco, ressaltou que o Rio Grande do Sul é o segundo maior produtor de leite do país. No entanto, o dirigente lembrou que a carga tributária do Brasil precisa baixar para viabilizar os custos de produção. “O governo comete um equívoco ao tributar a produção e não o consumo”, enfatizou. Já o presidente do Instituto Brasil-China, Sérgio Moraes, lembrou que, nos últimos 70 anos, a China desenvolveu-se com muito trabalho combinado com forte ação governamental. Atualmente, 70% da população chinesa pertence às classes média e alta. Só na classe média, são 650 milhões de pessoas com renda per capita de US$ 50 mil por ano. “São praticamente quatro ‘Brasis’ de alto consumo concentrado em 22 cidades”, destacou. Neste sentido, Moraes ressaltou que há mercado na China, independente do porte do negócio. Devido ao mercado asiático gigantesco. O presidente do Instituto Brasil-China aconselhou os laticínios a colocar produtos inicialmente com valores mais elevados, direcionados às classes mais altas, para terem tempo de se estruturar visando no futuro atender com eficiência classes mais baixas. Após o debate, a Apil/RS promoveu uma degustação de queijos de laticínios vinculados à Associação. A variedade envolveu os queijos Parmesão, Provolone, Mussarela e Colonial. Entre as marcas apresentadas estiveram a Kiformaggio, Duplex, Tche Milk, Sarandi, Friolack, Paladar da Serra, Mandaká, Frizzo e...
Apil/RS indica que momento do mercado lácteo é de ajustes

Apil/RS indica que momento do mercado lácteo é de ajustes

O setor lácteo está em um momento de ajuste e de expansão, com adaptações para o cumprimento de normativas em busca de qualidade e avanço. Foi assim que presidente da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS) iniciou sua conversa com jornalistas, em coletiva realizada na manhã desta quarta-feira, 28 de agosto na casa da entidade no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), durante a Expointer. Conforme o presidente da Apil/RS, Wlademir Dall`Bosco, O Brasil se projeta, num prazo de de 8 a 10 anos, que e torne um grande exportados de produtos lácteos. Segundo o dirigente, além de genética avançada e tecnologia, na atividade primária, principalmente do Rio Grande do Sul, o leite só perde para a cultura da soja. “O PIB do leite só perde para carne bovina suína ou frango, com impacto enorme na economia gaúcha”, disse Dall´Bosco. O presidente da Apil/RS também destacou que hoje as 40 empresas associadas processam um milhão e 800 mil litros de leite por dia, além de 80% do queijo produzido no Estado. Além disso, 50% do leite e queijo gaúchos são comercializados fora do estado “O crescimento da produção foi de 4% este ano”, destacou Dall’Bosco, o que pode levar a região Sul como a de maior produção de leite do Brasil. “Isto nos leva ao encontro do mercado internacional, devido ao excedente de produção”, concluiu. Com relação a uma abertura para o mercado chinês, o presidente destacou que não falta muito para que isto se concretize. Segundo ele, algumas plantas já estão habilitadas para a exportação não só no Estado como...
Associados da Apil/RS apostam em promoção do queijo provolone na Expoagas

Associados da Apil/RS apostam em promoção do queijo provolone na Expoagas

As indústrias de laticínios Friolack, de Chapada (RS), e Mandaká Alimentos, de Nova Boa Vista (RS), participam estrategicamente da Expoagas 2019 – 38ª Convenção Gaúcha de Supermercados. No evento multissetorial, que se encerra nessa quinta-feira, 22 de agosto, no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre (RS), as empresas apresentam novidades no seu mix de produtos. Queijo provolone é a principal aposta para oportunidades comerciais. Na feira promovida pela Associação Gaúcha de Supermercado (Agas), o presidente da Apil/RS e diretor da Mandaká Alimentos, Wlademir Dall’Bosco, explica que o evento é de grande importância para as empresas do setor de laticínios por propiciar contatos com lojistas, atacadistas, varejistas e grandes redes de supermercado. “Estamos com uma linha de provolone, com qualidade fantástica, novas apresentações, embalagens e tamanhos diferenciados”, conta, entusiasmado, após receber a visita do campeão da Copa do Mundo de 1994 e ex-capitão da Seleção Brasileira de Futebol, Dunga, para degustação de alguns dos seus produtos. A Mandaká Alimentos possui 32 itens no seu portfólio. “Estamos em busca de mercados fora do Rio Grande do Sul, como São Paulo, Rio de Janeiro e o Norte e Nordeste do país”, complementa Dall’Bosco. Segundo o diretor comercial da Friolack, Rodrigo Giacomini, a empresa segue igualmente nessa direção geográfica e estratégica. A indústria de laticínios, que também aposta em produtos com queijo provolone, quer ampliar a sua participação no mercado nacional. Atualmente, possui contratos, por exemplo, na Bahia, no Ceará e em Pernambuco, entre outros. “Todos os anos temos produtos novos para a Expoagas. Para essa edição nosso desejo era algo mais elaborado e refinado. É o sétimo ano que participamos....
Apil/RS produzirá a maior pizza do Brasil durante a Expointer

Apil/RS produzirá a maior pizza do Brasil durante a Expointer

A maior pizza do país será assada durante a Expointer na Casa da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS) no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Dia 29 de agosto, quinta-feira, o pizzaiolo Peterson Secco, juntamente com uma equipe de chefs especializados no prato italiano, tentará ultrapassar o recorde nacional, produzindo uma pizza com 3,5 metros de diâmetro, peso de 160 quilos e que resulta em aproximadamente 1,2 mil pedaços. A marca anterior, do próprio Peterson, é de 3,35 metros e 156 quilos. De acordo com o chef, sócio da pizzaria Le Petit, em Canela (RS), o preparo da massa é feito no dia anterior, e para assá-a leva em torno de 5 horas. “Temos um modelo de chapa que vai assando por baixo, com um sistema de mini lenhas que queimam sem fazer fumaça. Para a parte de cima, utilizamos maçaricos”, explica. A grande atração, no entanto, fica por conta da técnica de rapel, usada para se chegar ao centro da pizza e montar o recheio, que terá uma variedade de queijos dos laticinios associados da Apil/RS. A montagem se iniciará às 7h, sob o controle da fiscalização do Rank Brasil, que homologa os recordes brasileiros, e a pizza será servida ao público às 12h. A programação da Apil/RS também contará com debates e encontros gastronômicos. Na quarta-feira, 28 de agosto, tem lugar o Painel da Cadeia Láctea, que debaterá as Oportunidades e Entraves do Mercado Internacional, com enfoque principalmente nas exportações para a China e União Europeia. Para o presidente da Apil/RS, Wlademir Dall’Bosco, a participação da entidade neste tipo...
Mercado sinaliza forte queda no preço do leite no semestre

Mercado sinaliza forte queda no preço do leite no semestre

O baixo crescimento da economia brasileira e o alto estoque de produtos, aliados à queda na renda e no consumo, trazem um cenário preocupante para o setor lácteo. A projeção para 2019 é de um incremento de 4% na produção de leite em relação ao ano passado, porém o consumo deve diminuir em torno de 3% a 4%. A situação fica mais difícil ainda ao somar a esses índices, o incremento no volume de importação dos produtos lácteos no primeiro semestre, comparativamente ao mesmo período de 2018, que chega a representar cerca de 1% da produção brasileira. O presidente da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS), Wlademir Dall’Bosco, destaca que o mercado está sinalizando para uma redução drástica no preço do leite. “Nós já tivemos uma diminuição em junho e vamos ter novamente uma queda significativa em julho para ficar dentro de uma realidade de mercado. Por isso, vamos ter que reduzir custos, ser mais eficientes no processo de produção, na logística”, salienta. Dall’Bosco também ressalta que a grande quantidade em estoque de leite em pó e de queijos, todos com prazo de validade e que, portanto, precisam ser comercializados, acaba pressionando os preços para baixo. “Com a população consumindo menos, um número menor de pessoas trabalhando, menos dinheiro circulando, o valor do produto tende a cair e é isso que está acontecendo no mercado nesse momento. Hoje a indústria está vendendo o leite, o queijo, abaixo do custo de produção. Nos últimos 90 dias as indústrias vêm fechando sem rentabilidade”, afirma. Com relação à importação de produtos lácteos do Mercosul, o dirigente...
Laticínio de Ivoti agrega qualidade e preservação ambiental

Laticínio de Ivoti agrega qualidade e preservação ambiental

Sustentabilidade e excelência na produção são marcas fundamentais da Agroindústria Laticínios Nova Alemanha, integrante da Associação das Pequenas Indústrias de Laticínios do Rio Grande do Sul (Apil/RS), que na última sexta-feira, dia 26 de julho, recebeu o Certificado de Inclusão no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (PEAF). A partir desta conquista, o empreendimento, localizado na Rota Romântica, no município de Ivoti (RS), passa a ter oportunidades como linhas de crédito com juros mais baixos e novos espaços de comercialização. Em clima de muita emoção, Rodrigo Staudt, um dos proprietários da agroindústria, agradeceu, ao lado dos familiares, a todos que contribuíram para esta nova fase, prevendo ainda mais visibilidade para a Queijaria e Loja Nova Alemanha. A irmã, Débora, lembrou o avô falecido há quatro anos, destacando a sua luta pela família, exercendo ao mesmo tempo as profissões de professor e agricultor. “Meu irmão e eu sempre quisemos trabalhar no campo e toda a trajetória até este momento, inclusive com premiações, foi sempre muito difícil, mas nunca pensamos em desistir”, afirmou. Staudt também lembrou das dificuldades iniciais, de quando, aos 14 anos, comprou a primeira cabra, e destacou todo o processo de adaptação às legislações sempre em busca de melhorias. Observou que um dos grandes marcos do laticínio foi a inclusão no Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf), que, conforme explicou, permitiu a comercialização em todo o Estado do queijo diferenciado e de qualidade que a Nova Alemanha produz. A agroindústria trabalha com 10 tipos de queijos feitos com leite de cabra, oito queijos produzidos com leite de vaca e quatro sabores de...
Mercado lácteo e novos parceiros são tema de reunião dos associados da Apil/RS

Mercado lácteo e novos parceiros são tema de reunião dos associados da Apil/RS

A Apil/RS reuniu os seus associados nesta terça-feira, dia 23 de julho, em sua sede, no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio (RS), onde tratou de temas como: Mercado lácteo, Programação Expointer 2019, Projeto Cultural, Viagem à Europa, entre outros assuntos. O presidente Wlademir Dall’Bosco posicionou os participantes sobre o cenário atual para o setor e também relatou as novidades apresentadas na Minas Láctea. Na oportunidade, novos sócios e parceiros da Associação fizeram uma breve apresentação de seus produtos. Sidnei Ianke e Vinícius Franco mostraram os serviços oferecidos pelo Sistema MILKUP. Trata-se de um software desenvolvido para atender a gestão da atividade leiteira. O sistema reúne todos os controles e serviços levantados junto a produtores, permitindo uma abordagem simples, acessível e eficiente. Entre os pontos destacados na apresentação estiveram as condições que o MILKUP proporciona às empresas de lácteos para se adequarem ao Programa Mais Leite Saudável e às INs 76 e 77, para a execução do Plano de Qualificação. Para mais informações foi disponibilizado o e-mail: contato@milkup.com. Ralf Schmidt, da BSB Inox, também falou aos associados sobre a empresa. Com uma ampla linha de produtos, a BSB INOX opera hoje em diversos setores, atuando em vários estados do país, em segmentos como: Laticínios/queijarias e  agroindústrias. A empresa diferencia-se no mercado por apresentar soluções, desenvolvendo equipamentos personalizados conforme a necessidade do seus clientes e, dessa forma, resultando no melhor custo benefício. Valor do leite chega a R$ 1,0486 no RS O presidente da Apil/RS, Wlademir Dall’Bosco, participou na manhã de terça-feira, dia 23 de julho, da reunião do Conseleite, realizada na FecoAgro/RS, em Porto Alegre. O preço de referência do leite projetado para...
Apil/RS marca presença no Minas Láctea 2019

Apil/RS marca presença no Minas Láctea 2019

A Apil/RS está presente na edição 2019 da Minas Láctea, realizada na cidade de Juiz de Fora (MG). Nesta quarta, 17 de julho, o grupo da Apil, formado pelo presidente Wlademir Dall’Bosco e representantes dos laticínios Mandaká, Kiformaggio, São Luís, Doceoli, Pomerano, Friolack, Stefanello, Cichelero, Sgorla e Valbrenta, participaram da palestra “O futuro do leite no Brasil”, ministrada pelo chefe-geral da Embrapa Gado Leite, Paulo do Carmo Martins. Após o grupo teve um bate papo com o pesquisador Glauco Carvalho que trocaram informações relacionadas ao mercado da cadeia produtiva do leite. Um agradecimento especial a William Fernando Bernardes, supervisor do setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia da Embrapa, por viabilizar a agenda....
Câmara Setorial do Leite avalia instruções normativas e seus impactos

Câmara Setorial do Leite avalia instruções normativas e seus impactos

A Apil/RS esteve presente na  reunião da Câmara Setorial do Leite, realizada no dia 9 de julho. Esta primeira reunião do ano foi dedicada a analisar os impactos e entraves que as Instruções Normativas 76 e 77 do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento têm para os produtores de leite no Rio Grande do Sul. Os Auditores fiscais do MAPA, Cristine Milene Cé e Roberto Lucena, detalharam as exigências das duas INs, informando que  o  ministério está divulgando em seu site um guia para orientar na elaboração do plano, que será importante para a implantação gradativa de boas práticas agropecuárias na cadeia do leite. Foi consenso entre todas as entidades participantes que um dos principais desafios está na infraestrutura, como a situação das estradas e o abastecimento de energia elétrica às propriedades rurais. Como parte das estratégias, foi definido o agendamento de reuniões com a Aneel e as distribuidoras de energia elétrica no Estado, e com a Secretaria de Obras. Para a próxima reunião a Emater apresentará um levantamento dos municípios que sofrem com problemas na distribuição de energia elétrica a fim de traçar planos de ação. A próxima reunião deverá ocorrer após a...